Notícia - 7ºano - O sofrimento das crianças na Síria (Nazismo)


1. Leia a notícia abaixo com atenção.

O sofrimento das crianças na Síria 

Segundo o Unicef, quase 6 milhões de crianças dependem agora de ajuda humanitária, 12 vezes mais do que em 2012, quando a guerra fez um ano. Cerca de metade desse total de crianças vive em regiões de difícil acesso. E o número de menores refugiados [...] passa de 2,3 milhões. 
[...] segundo o Unicef, pelo menos 652 crianças foram mortas, 20% a mais do que em 2015, e grande parte dessas mortes ocorreu dentro ou perto de uma escola. 
Além disso, o número de menores recrutados para lutar no conflito mais do que dobrou nos últimos dois anos. O relatório cita que esses menores estão sendo usados também como carrascos, terroristas suicidas e guardas de prisão. [...]

Sofrimento de crianças na Síria atingiu o "fundo do poço", alerta Unicef. Agência Brasil

Glossário

Unicef: Fundo das Nações Unidas para a Infância. 
Refugiado: pessoa forçada a deixar seu país por motivo de guerra, perseguição ou acidente natural (terremoto, por exemplo). 

2. Marque V para verdadeiro e F para falso.

a) A maior parte das crianças vítimas de guerra estão em região de fácil acesso, o que facilita a ajuda. 
b) A convocação de crianças para lutar nas guerras diminuiu. 
c) Mesmo estando em lugares que deveriam ser seguros, como a escola, as crianças têm sido vítimas fatais da guerra. 
d) Muitas crianças deixaram a escola e tornaram-se soldados na Guerra da Síria. 


Por que a vida é tão dura? É a pergunta que Ivine, uma menina de 14 anos que foi forçada a fugir de casa, faz a si mesma. Este vídeo conta a trajetória da fuga dela, com sua família.

PROFESSOR:
  • Propor uma roda de conversa e perguntar aos alunos: Como será a vida das crianças em um país em guerra? Quais serão os seus maiores medos? E o seu maior sonho, qual será? Vocês sabiam que muitas crianças estão fora da escola por conta das guerras que ocorrem no mundo? 
  • Propor uma reflexão sobre as dificuldades enfrentadas pelas crianças sírias. 
  • Trabalhar com os alunos o conceito de refugiado. 
  • Refletir sobre o papel do Unicef no mundo atual. 


3. Leia.

Para resistir aos horrores do mundo, não há gesto que seja pequeno demais, nem idade por demais avançada – e a alemã Irmela Schramm é a prova disso. Ela se auto denomina uma “faxineira política”, um título justo e objetivo, pois é isso que ela faz: Irmela caminha pela cidade de Berlim procurando por mensagens nazistas pichadas, escritas ou coladas em espaço públicos, para então arranca-las ou cobri-las com um spray.

[...] A iniciativa começou de forma simples: com a chave de casa ou do carro, ela retirava toda a mensagem de discurso de ódio que via. 
Depois de um tempo, resolveu incrementar as armas contra o ódio: adquiriu removedor de tinta, um raspador e uma lata de spray, que ela carrega em uma bolsa com os dizeres "Contra nazistas". [...]

'Faxineira da política', idosa percorre ruas para apagar pichações nazistas e racistas. Yahoo 

4. Marque V para verdadeiro e F para falso. 

a) Ao se posicionar "Contra nazistas", Irmela se coloca contra o ódio e o preconceito entre as pessoas. 
b) De acordo com a notícia, Irmela se tornou "faxineira política" porque é contrária aos políticos da sua cidade. 
c) Irmela mora na Alemanha, país onde, no passado, o nazismo  chegou ao poder. 
d) Irmela combate o nazismo somente entre seus familiares. 
e) Com poucas ferramentas e um ideal, Irmela realiza um trabalho importante em favor do convívio saudável entre as pessoas. 

PROFESSOR:
  • Retomar e aprofundar o conceito de nazismo e comentar as práticas adotadas pelos nazistas.
  • Refletir sobre a ação solidária de Irmela e como isso faz toda a diferença!
  • Comentar sobre as possíveis causas para o ressurgimento de ideias nazistas.
  • Estimular a refelexão acerca do perigoso fortalecimento das ideias nazistas na Europa atual, em países como a Alemanha, França e Grécia.
5. Pesquisar e explicar quem são os neonazistas na atualidade. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário