O processo (Franz Kafka) Adjuntos adverbiais - Interpretação com gabarito (9ºano)


O texto abaixo é um trecho do romance O processo, do escritor tcheco Franz Kafka. Posteriormente, ele publicou o trecho isoladamente em um livro de contos. Leia-o com atenção para responder às questões.

Diante da lei está um porteiro. Um homem do campo chega a esse porteiro e pede para entrar na lei. 
Mas o porteiro diz que agora não pode permitir-lhe a entrada. O homem do campo reflete e depois pergunta se então não pode entrar mais tarde. “É possível” diz o porteiro, “mas agora não”. Uma vez que a porta da lei continua como sempre aberta e o porteiro se põe de lado o homem se inclina para olhar o interior através da porta. Quando nota isso o porteiro ri e diz: “Se o atrai tanto, tente entrar apesar da minha proibição. Mas veja bem: eu sou poderoso. E sou apenas o último dos porteiros. De sala para sala porém existem porteiros cada um mais poderoso que o outro. Nem mesmo eu posso suportar a simples visão do terceiro.” O homem do campo não esperava tais dificuldades: a lei deve ser acessível a todos e a qualquer hora, pensa ele; agora, no entanto, ao examinar mais de perto o porteiro, com o seu casaco de pele, o grande nariz pontudo, a longa barba tártara, rala e preta, ele decide que é melhor aguardar até receber a permissão de entrada. O porteiro lhe dá um banquinho e deixa-o sentar-se ao lado da porta. Ali fica sentado dias e anos. Ele faz muitas tentativas para ser admitido e cansa o porteiro com os seus pedidos. Às vezes o porteiro submete o homem a pequenos interrogatórios, pergunta-lhe a respeito da sua terra natal e de muitas outras coisas, mas são perguntas indiferentes, como as que os grandes senhores fazem, e para concluir repete-lhe sempre que ainda não pode deixá-lo entrar. O homem, que havia se equipado com muitas coisas para a viagem, emprega tudo, por mais valioso que seja, para subornar o porteiro. Com efeito, este aceita tudo, mas sempre dizendo: “Eu só aceito para você não julgar que deixou de fazer alguma coisa”. Durante todos esses anos o homem observa o porteiro quase sem interrupção. Esquece os outros porteiros e este primeiro parece-lhe o único obstáculo para a entrada na lei. Nos primeiros anos amaldiçoa em voz alta e desconsiderada o acaso infeliz; mais tarde, quando envelhece, apenas resmunga consigo mesmo. Torna-se infantil e uma vez que, por estudar o porteiro anos a fio, ficou conhecendo até as pulgas da sua gola de pele, pede a estas que o ajudem a fazê-lo mudar de opinião. Finalmente sua vista enfraquece e ele não sabe se de fato está ficando mais escuro em torno ou se apenas os olhos o enganam. Não obstante reconhece agora no escuro um brilho que irrompe inextinguível da porta da lei. Mas não tem mais muito tempo de vida. Antes de morrer, todas as experiências daquele tempo convergem na sua cabeça para uma pergunta que até então não havia feito ao porteiro. Faz-lhe um aceno para que se aproxime, pois não pode mais endireitar o corpo enrijecido. O porteiro precisa curvar-se profundamente até ele, já que a diferença de altura mudou muito em detrimento do homem. “O que é que você ainda quer saber?” pergunta o porteiro, “você é insaciável”. “Todos aspiram à lei”, diz o homem, “como se explica que em tantos anos ninguém além de mim pediu para entrar?” O porteiro percebe que o homem está no fim e para ainda alcançar sua audição em declínio ele berra: “Aqui ninguém mais podia ser admitido, pois esta entrada estava destinada só a você. Agora eu vou embora e fecho-a”.

KAFKA, F. O processo. Trad. e posfácio de Modesto Carone. São Paulo: Brasiliense, 1988. p. 250-252.

GLOSSÁRIO
Indiferente: que não demonstra interesse.
Inextinguível: que não pode se extinguir, terminar.
Em detrimento: em prejuízo. 
Insaciável: que não pode ser satisfeito. 

Questão 1
Há uma série de elementos estranhos nesse texto que, juntos, possibilitam classificá-lo como fantástico. O trecho que não corresponde a um desses elementos é.

a) O porteiro lhe dá um banquinho e deixa-o sentar-se ao lado da porta. Ali fica sentado dias e anos. 
b) Às vezes o porteiro submete o homem a pequenos interrogatórios, pergunta-lhe a respeito da sua terra natal e de muitas outras coisas.
c) Torna-se infantil e uma vez que, por estudar o porteiro anos a fio, ficou conhecendo até as pulgas da sua gola de pele, pede a estas que o ajudem a fazê-lo mudar de opinião.
d) Durante todos esses anos o homem observa o porteiro quase sem interrupção.

Questão 2
As palavras destacadas em negrito são adjuntos adverbiais de tempo. Explique por que elas são importantes para a construção dessa história.

Questão 3
Releia.

“Às vezes o porteiro submete o homem a pequenos interrogatórios, pergunta-lhe a respeito da sua terra natal e de muitas outras coisas, mas são perguntas indiferentes, como as que os grandes senhores fazem, e para concluir repete-lhe sempre que ainda não pode deixá-lo entrar.”

O que é possível perceber nesse trecho sobre como o porteiro trata o homem do campo? Justifique fazendo uso da frase destacada.

Questão 4
Observe.

“O porteiro precisa curvar-se profundamente até ele, já que a diferença de altura mudou muito em detrimento do homem.”

O advérbio que poderia substituir profundamente sem prejuízo de sentido é:
a) muitíssimo.
b) excessivamente.
c) seriamente.
d) completamente.


GABARITO

Questão 1
A questão avalia a capacidade do(a) estudante de identificar trechos do texto que apresentam características próprias do gênero conto fantástico, de acordo com a habilidade EF69LP47.
Resposta correta: B.
A marcação da alternativa a indica que o(a) estudante não percebeu que o fato de o homem ficar “sentado dias e anos” não é nada realista. Nesse caso, retome o enredo do texto para que fique claro o fato de ser uma história em que o homem passa anos de sua vida até sua morte esperando na entrada da porta da lei.
A marcação da alternativa c indica que o(a) estudante não percebeu a estranheza no fato de o homem do campo pedir às pulgas que o ajudassem a mudar a opinião do porteiro. Nesse caso, retome o fato de que, isoladamente, esse trecho até poderia ser tomado como algo inusitado ou linguagem figurada, mas, considerando os demais elementos da história, ele contribui com o caráter fantástico.
A marcação da alternativa d pode indicar que o(a) estudante não compreendeu o disparate de ter uma personagem que observa outra “quase sem interrupção” por muitos anos. Nesse caso, pergunte como isso seria possível no campo da realidade.

Questão 2
Essa questão avalia a capacidade do(a) estudante de identificar o papel dos adjuntos adverbiais de tempo na construção do sentido da narrativa, de acordo com as habilidades EF69LP47 e EF08LP10. 
Resposta esperada: Os adjuntos adverbiais de tempo são importantes na construção da narrativa, pois ela conta a história de um homem que passa boa parte de sua vida esperando para entrar na lei. Assim, os adjuntos adverbiais servem para marcar a passagem do tempo, além de aspectos importantes, como o fato de a porta estar sempre aberta.
É provável que o(a) estudante apresente dificuldade em perceber o papel dos adjuntos adverbiais de tempo na construção da história. Nesse caso, relembre a função desses adjuntos na oração, a indicação do momento em que algo aconteceu ou a duração desse momento, e peça que retome a história sob essa perspectiva. 

Questão 3
A questão avalia a capacidade do(a) estudante de perceber a relação entre personagens de uma narrativa, levando em conta o papel das orações subordinadas, de acordo com as habilidades EF69LP47 e EF08LP12.
Resposta esperada: Nesse trecho é possível perceber que o porteiro trata o homem do campo com menosprezo, o que fica evidente pelo desinteresse com que pergunta sobre a vida dele e pela frase destacada, na qual o(a) leitor(a) percebe a superioridade com que o porteiro se comporta, como um 
“grande senhor”.
É provável que o(a) estudante apresente dificuldade em perceber a posição do porteiro em relação ao homem do campo. Nesse caso, pergunte o que seriam “perguntas indiferentes”, recorrendo ao glossário se necessário, e qual a relação disso com a frase seguinte, questionando como se comportam os grandes senhores nessa formulação.

Questão 4
A questão avalia a capacidade do(a) estudante de compreender o papel de escolhas lexicais em texto narrativo, de acordo com as habilidades EF69LP47 e EF08LP10.
Resposta correta: A.
A marcação da alternativa b indica que o(a) estudante pode não ter percebido que o advérbio excessivamente, além da ideia de intensidade, também carrega o sentido de “em excesso”, “mais do que o necessário”. Nesse caso, retome com ele(a) essa diferença.
A marcação da alternativa c indica que o(a) estudante pode não ter percebido a diferença de sentido dos dois advérbios. Nesse caso, diga que, em outros contextos, eles até poderiam ter sentidos bem próximos, como em “Ele pensou profundamente/seriamente”, mas no texto isso não ocorre.
A marcação da alternativa d indica que o(a) estudante pode não ter percebido que o advérbio completamente, além da ideia de intensidade, também carrega o sentido de algo que foi acabado, de que o porteiro se curvou até o limite, algo não referendado pelo texto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário