EF07HI03 - Exercícios com gabarito - Sociedades africanas e americanas (7ºano)

Questão 1
Tramita no Brasil, desde 2006, um projeto de lei chamado “Lei Griô” (PL 1786/2011). Seu objetivo é reconhecer a importância dos mestres griots para a preservação de saberes e práticas vinculados à tradição oral de diferentes grupos étnicos e culturais. Comente a importância dos mestres griots e do conhecimento oral nas sociedades africanas.

Espera-se que os estudantes comentem que os griots são responsáveis pela transmissão de conhecimentos e tradições em diversas localidades da África. Considerados “contadores de história”, os griots são muito respeitados pelas sociedades em que atuam. É esperado, também, que os estudantes falem sobre a importância da tradição oral como forma de registro e de transmissão de conhecimentos em sociedades não escritas (entre elas, algumas sociedades africanas). As narrativas oral e escrita, embora igualmente importantes, possuem lógicas distintas e não podem ser hierarquizadas. A linguagem oral, pela sua própria natureza, não se vincula à valorização de documentos ou comprovações das narrativas, e sim, a ensinamentos de ordem moral, a questões de ética e a costumes que devem ser preservados. A imprecisão e a variabilidade nas narrativas orais não devem ser entendidas como problemas ou como “defeitos” de um registro. Ao contrário, a capacidade de mutação e de adaptação das narrativas orais a diferentes contextos e transformações sociais possibilita que elas sejam parte de uma memória viva e ativa de comunicação daquela sociedade.

Questão 2
O mapa abaixo apresenta informações sobre a distribuição da população muçulmana no continente africano em 1987. Considerando este mapa e seus conhecimentos sobre as trocas comerciais nas rotas transaarianas e transahelianas no século XIV, no continente africano, é possível afirmar:

Fonte: África, Islamismo em 1987. Perry-Castañeda Library Map Collection. The University of Texas at Austin. 

a) Existe uma coincidência entre as rotas comerciais transaarianas e transahelianas com a expansão do islamismo no norte da África, sendo possível perceber um rico intercâmbio econômico e cultural entre norte da África, Ásia e Oriente Médio.
b) Entre os séculos VII e XIV havia inúmeras rotas comerciais entre os povos das costas do Mediterrâneo, do Atlântico e do Índico, mas estas não influenciaram na constituição sociocultural dos povos da África subsaariana.
c) Apesar de o islamismo ter adentrado o norte da África entre os séculos VII e XIV, a colonização europeia do continente africano nos séculos posteriores aboliu essa religião e instituiu o catolicismo como a principal prática religiosa.
d) Embora o islamismo tenha sido importante na história da África subsaariana, não é possível afirmar que ainda seja uma manifestação religiosa relevante no continente africano.
e) A disseminação do islamismo nos reinos de Sahel foi um fato marcante na constituição social e cultural das populações que viviam ali; essa religião unificou os reinos de Gana e de Mali e se estabeleceu como única religião praticada.

Gabarito: a

Para responder a essa questão, os estudantes deverão entender a importância das rotas comerciais na formação histórica do norte da África, que, para além da troca de riquezas, promoveram um intercâmbio sociocultural entre diversas regiões da Europa, da Ásia e do Oriente Médio. Excetuando-se a alternativa a, todas as outras contêm erros:
b) Ao mesmo tempo em que muitas mercadorias circulavam ao longo das rotas comerciais no norte africano, aumentava a importância das trocas culturais entre os diferentes povos da costa do Mediterrâneo e da África subsaariana, sendo a religião um importante exemplo desses contatos culturais. 


Questão 3 
Observe as imagens abaixo.

Mesquita de Djenné, construída no século XIII na cidade de Djenné, Mali. Fotografia de 2009

Mesquita de Sankoré, construída entre os séculos XV e XVI em Timbuctu, Mali. Fotografia de 2010.

As cidades de Djenné e Timbuctu foram incorporadas pelo Império do Mali no século XIII e se tornaram importantes centros urbanos nessa região. Suas mesquitas são destacadas em diversas narrativas históricas. Segundo o escritor malinês Amadou Hampaté Bâ (1901-1991), eram tidas como as mais belas do norte do continente africano. Além de importantes centros religiosos, também funcionavam como centros de estudos e reuniam intelectuais de várias partes do mundo árabe. Analisando as imagens acima e considerando seus conhecimentos sobre as rotas comerciais transaarianas e transahelianas, responda:
a) Qual foi a importância dessas cidades na organização política e econômica do Império do Mali? Ao responder, descreva também as principais rotas econômicas presentes nessa região.
b) Com base na análise das imagens acima, identifique e descreva as principais características da arquitetura desses monumentos. 

Esta atividade pretende incentivar, entre os estudantes, as habilidades de leitura e interpretação de fotografias. No item a, espera-se que os estudantes sejam capazes de identificar as cidades de Djenné e Timbuctu como entrepostos comerciais entre as principais rotas econômicas do Império do Mali e compreender que elas dominavam tanto a navegação quanto os circuitos de caravanas no deserto. É importante que ressaltem as especificidades das rotas transaarianas efetuadas no sentido norte-sul e que cambiavam ouro, especiarias e pessoas escravizadas por sal, produtos alimentícios e manufaturados. Já as rotas transahelianas se orientavam no sentido leste-oeste e utilizavam a navegação dos rios. No contexto político, é necessário notar que essas cidades abrigaram importantes centros intelectuais do mundo árabe e eram os centros políticos do Império do Mali.
No item b, espera-se que os estudantes analisem as imagens observando a semelhança entre as duas construções, feitas de barro e com vigas entrecruzadas que saem das torres mais altas. Trata-se de uma tecnologia de construção de adobe, muito aprimorada tendo em vista a sua duração secular. Diferentemente das abóbodas mais circulares que caracterizam grande parte das mesquitas no Oriente Médio, esses monumentos possuem formas mais quadriculares e retangulares, mostrando a intensa diversidade que o islamismo e sua estética assumem ao longo da sua vasta extensão. 


Questão 4
A respeito do Império do Mali é possível afirmar: 

a) Possuía um império centralizado, com unidade religiosa e linguística, tendo Djenné e Timbuctu como os principais centros político e econômico.
b) No Império do Mali eram produzidas diversas riquezas, como ouro, peles e gêneros alimentícios. A população do império era autossuficiente, tendo em vista as dificuldades impostas pelo deserto do Saara para a realização de trocas econômicas. 
c) Possuía importantes tecnologias que permitiam a sobrevivência no deserto, a navegação em rios e a realização de construções centenárias.
d) As rotas comerciais foram importantes para a consolidação do Império do Mali, que comercializava produtos exclusivamente do norte (Mediterrâneo) para o sul (Sahel).
e) A atividade comercial mais rentável da África durante vários séculos foi o comércio caravaneiro que interligava o Mediterrâneo à região do Sahel. Esse comércio fazia usos de camelos e era tão importante que o Império do Mali tardou em desenvolver outros meios de transporte, como a navegação, por exemplo. 

Gabarito: c

A resposta correta é a alternativa c. Os estudantes devem reconhecer a importância das técnicas e das tecnologias desenvolvidas por diferentes povos. Nesse sentido, as civilizações sahelianas, dentre elas o Império do Mali, desenvolveram diversas técnicas de exploração no deserto, como a confecção de roupas, a produção de alimentos e a utilização dos animais, em especial o camelo. Suas construções, feitas de barro e madeira, sobrevivem por séculos no deserto. Essas civilizações também dominavam a navegação dos três principais rios da região: o Níger, o Senegal e o Gâmbia.

Excetuando-se a alternativa c, todas as outras contêm erros:
a) Apesar de haver uma centralidade política no Império do Mali, mantinham-se a autonomia e a diversidade linguística, religiosa e social dos diversos povos que compunham o império. 
b) A utilização de técnicas e tecnologias que permitiam a circulação pelo deserto possibilitou ampliar o acesso a bens, pessoas e produtos através das rotas transaarianas. Havia troca de produtos em estado bruto, como ouro, peles e gêneros alimentícios, por sal e produtos manufaturados vindos do norte. 
d) As rotas transaarianas se efetuavam tanto no sentido norte-sul quanto no sentido sul-norte, promovendo a circulação de produtos entre a África subsaariana e os povos que habitavam o Mediterrâneo.
e) As civilizações sahelianas dominavam tanto as rotas terrestres, utilizando animais, quanto a navegação fluvial. 


Questão 5
A partir do século XVI, muitos africanos foram trazidos para as áreas que hoje compreendem o Brasil. Esses homens e mulheres pertenciam a uma grande variedade de povos. Eles foram trazidos pelos portugueses à força, na condição de escravos. A cidade de Ajudá, localizada na atual República de Benin, foi o segundo porto escravagista africano mais importante dentro do chamado comércio atlântico. Ali foi construído o memorial Rotas dos escravos para lembrar e homenagear os milhares de africanos traficados para as Antilhas e Américas na condição de escravos. Um importante monumento nesse circuito é a representação de uma Mami Wata, divindade da água, instalada no lugar onde se localizava a “Árvore do Esquecimento”. Essa obra traz uma inscrição com as seguintes informações:
“Nesse lugar se encontrava a ‘Árvore do Esquecimento’. Os homens escravos deviam dar, em torno dela, nove voltas e as mulheres, sete voltas. Depois de darem essas voltas, os escravos deviam ficar amnésicos. Eles esqueciam completamente seu passado, suas origens e suas identidades culturais para se tornarem seres sem vontade de reagir ou de se rebelar”. 

ARAÚJO, Ana Lucia. Caminhos atlânticos. Memória, patrimônio e representações da escravidão na Rota dos Escravos. In: Varia Historia. v. 25. n. 41. jan./jun. 2009. 
Disponível em: 

Você já sabe que o Brasil tem a segunda maior população negra do mundo, inferior apenas à da Nigéria, na África, e que parte dos ancestrais de nossa população veio de diferentes reinos e localidades africanas por meio do tráfico de escravizados. Considerando esse texto e com base em seus conhecimentos sobre a história da África e a história do Brasil, responda: É possível afirmar que o processo de escravidão aniquilou a memória e a identidade dos africanos traficados?

A escravidão teve significativa influência tanto na história do continente africano quanto na dos locais de destino dos africanos escravizados. Para responder, é esperado que os estudantes comentem que a memória e a identidade, ou seja, a relação com a ancestralidade africana, não foram apagadas no processo de escravidão; ao contrário, esse processo acabou por construir um novo horizonte cultural conhecido como afro-americano. Os africanos na condição de escravos levaram consigo (ou seja, aos locais de destino) várias de suas marcas identitárias, como a comida e os hábitos alimentares, os conhecimentos e as tradições, os idiomas, a religião e diversas tecnologias de produção.

Questão 6
O atabaque é um instrumento musical de matriz africana utilizado em diversos lugares do mundo. Há muitos tipos diferentes de atabaques e eles podem receber nomes distintos de acordo com o seu formato, material ou tamanho. Também são batizados de diversas maneiras quando usados em cerimônias religiosas ou pagãs. Apesar da variedade de formas, uma característica marcante desses instrumentos é a utilização de pele de animais em uma de suas extremidades. Sobre os atabaques e os demais instrumentos de percussão, responda:

a) Qual a suposta origem do atabaque na África?
b) Qual a importância do atabaque e dos demais instrumentos de percussão de origem africana no Brasil?

O objetivo dessa questão é fazer com que os estudantes percebam a importância de objetos e técnicas africanas que perpassam milenarmente diversas culturas e que são marcas importantes da diáspora africana desde o século XVI.  No item a, eles devem considerar que os atabaques possivelmente vieram do contato com o mundo árabe e que foram apropriados por diversos grupos e etnias africanas, como os suaíli. No item b, é importante que os estudantes compreendam que os atabaques estão presentes na maior parte das manifestações artísticas e culturais populares no Brasil. Eles são utilizados tanto para fins religiosos (missas afros, candomblé, umbanda, tambor de mina) quanto em atividades não religiosas (samba, capoeira, bumba meu boi, carimbó etc.). Segundo o historiador Paul Gilroy, no livro O Atlântico negro, é necessário pensar nas identidades híbridas dos afrodescendentes. Para ele, o mar, antes de ser uma fronteira que separa, foi um laço que uniu a África a outras regiões do globo. Nesse sentido, as identidades afro-americanas não devem ser pensadas em relação a uma visão nostálgica de uma África idealizada, e, sim, como uma comunicação entre passado e presente, entre antigas imagens africanas e as novas influências trazidas pela diáspora. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário