EF01CI03 - Higiene - Plano de aula BNCC - Ciências 1ºano fundamental

 

Título: Hábitos de higiene
Duração: 3 aulas

Introdução
O objetivo desta sequência didática é apresentar aos alunos os hábitos básicos de higiene e de cuidado pessoal permitindo que eles compreendam a importância dessas práticas nas suas rotinas. Os hábitos de higiene devem ser entendidos como pré-requisitos para a manutenção da saúde pessoal. Por isso, espera-se que a abordagem desse tema de forma contextualizada e sistemática contribua com a formação de cidadãos capazes de atuar em favor da melhoria dos níveis de saúde pessoal e da coletividade.

Objetivos de aprendizagem

• Identificar hábitos básicos de higiene do corpo (lavar as mãos antes de comer, escovar os dentes, limpar olhos, nariz e orelhas etc.).
• Compreender a importância dos hábitos de higiene para manutenção da saúde.

Objeto de conhecimento:
Corpo humano.

Habilidade:
(EF01CI03)
Discutir as razões pelas quais os hábitos de higiene do corpo (lavar as mãos antes de comer, lavar os dentes, limpar olhos, nariz e orelhas etc.) são necessários para a manutenção da saúde.

Recursos e materiais necessários

Aula 1:
• Vídeo com o episódio do Castelo Rá-Tim-Bum “Meu Pé, Meu Querido Pé”, disponível na internet. Este item não é imprescindível para a atividade, a música pode ser apresentada para o aluno sem o vídeo.
• 1 retalho de papel por aluno.

Aula 2:
• Verificar com os palestrantes se algum material é necessário.

Aula 3:
• Caneta hidrocor de cor escura.

•  2 folhas de cartolina tamanho A4.

• 15 folhas de sulfite.

• Lápis de cor.

• Lápis grafite.

DESENVOLVIMENTO

Aula 1 – Banho
Duração: uma aula de 40 minutos.
Organização dos alunos: em círculo.

Inicie a aula apresentando a canção “Meu Pé, Meu Querido Pé” aos alunos e, se possível, apresente o vídeo. Os alunos podem receber a letra da música impressa. Leia a música toda com eles e esclareça qualquer dúvida que possa surgir. Na sequência, repita cada uma das estrofes com calma e com a entonação da música, solicitando a eles que tentem cantar acompanhando o ritmo. No momento em que os alunos tenham se apropriado da canção, cantem novamente sem interrupções.

Nesse momento, uma coreografia pode ser proposta, assim, dê espaço para que os alunos contribuam com a escolha dos movimentos. Se nenhuma ideia for apresentada, faça uma sugestão.

Em seguida, é o momento de criação do sabonete que está presente no vídeo. Caso o vídeo não tenha sido apresentado, a introdução do sabonete pode ser feita apenas questionando os alunos sobre quais são os melhores itens para uma boa limpeza. Então, entregue para cada aluno um pedaço de papel para que simulem o sabonete. Agora, eles poderão inserir na coreografia o uso desse item.

Depois da dança ensaiada, proponha algumas perguntas e reflexões:

• Quem toma banho todos os dias? Respostas pessoais.

• Por que é importante tomar banho todos os dias? Respostas pessoais.

• Que outros hábitos de higiene vocês têm? Respostas pessoais.

Incentive os alunos a compartilharem suas rotinas e, somente quando perceber que não há novas colocações a serem feitas, explique que nosso hábito de tomar banho todos os dias foi aprendido com os indígenas. Diga ainda que tomar banho diariamente elimina a sujeira da pele, dos cabelos, das unhas, e que é importante escovar os dentes, cortar as unhas e lavar as mãos sempre que estiverem sujas, antes das refeições e depois de usar o banheiro. Durante a fala dos alunos, reforce que é preciso sempre respeitar as diferenças e acolher todos, independentemente de convicções pessoais e condições socioeconômicas.

Diante das respostas e observações feitas pelos alunos, defina o foco da próxima aula de acordo com a necessidade mais específica da turma e faça um planejamento do enfoque que cada especialista deverá abordar em sala. Por exemplo, se perceber que a escovação de dentes é um problema, convide um dentista do posto de saúde, por exemplo, que se disponha a fazer uma palestra para seus alunos. A conversa pode começar pela descrição das características, formatos e funções dos dentes para depois seguir para uma demonstração da escovação seguida de um momento prático.

Caso o problema seja o corte das unhas, poderá convidar uma podóloga para conversar com os alunos.

Profissionais podem ser encontrados na própria comunidade escolar: funcionários, parentes, amigos e/ou vizinhos. Se nenhum especialista estiver disponível, faça você mesmo uma pesquisa e monte uma apresentação com novas informações para os estudantes.

Se for possível a presença de um especialista, expanda o convite aos responsáveis dos alunos e aos outros integrantes da comunidade escolar. Se julgar que as necessidades da turma são muito específicas, as apresentações podem ocorrer em dois momentos: uma palestra em sala de aula somente para os alunos e uma mais abrangente para a comunidade escolar.

Oriente os alunos para que preparem perguntas para a palestra a que irão assistir.

Aula 2 – Palestra sobre higiene pessoal
Duração:
uma aula de 40 minutos.
Organização dos alunos: em círculo.

Converse com os alunos sobre a palestra a que irão assistir na sequência e defina algumas estratégias e regras com eles. Explique a importância de obter informações adicionais e peça que fiquem atentos e que ergam a mão no momento que queiram fazer perguntas.

Apresente brevemente o tema que será palestrado e repasse os principais conceitos já aprendidos em sala de aula para que a palestra tenha o suporte conceitual necessário. Convide o palestrante a se apresentar e iniciar a conversa. Caso a apresentação seja feita pelo professor, após falar sobre os conceitos básicos, inicie a palestra.

Aula 3 – Sistematizando o que aprendemos com a palestra
Duração:
uma aula de 40 minutos.
Organização dos alunos: em dupla.

Convide os alunos a relembrarem as novidades que foram apresentadas a eles. Proponha a confecção de um pequeno livro para contar o que eles aprenderam de novo. Seja o escriba da turma, incentive os alunos a exporem suas ideais e a complementarem as colocações dos colegas. Em um primeiro momento, as ideias podem ser registradas na lousa. Lembre-os de que sempre é preciso respeitar as diferenças e acolher todos, independentemente de convicções pessoais e condições socioeconômicas.

Somente quando perceber que não há novas colocações a serem feitas, divida a turma em duplas e faça a transcrição de uma ideia por folha de sulfite, coloque esse registro como cabeçalho ou rodapé. Distribua as folhas com os escritos para as duplas e peça que façam a ilustração do que está escrito.

No momento em que todos terminarem seus desenhos, junte as folhas e monte um livrinho (a capa deve ser feita em cartolina). Convide-os a escolher um título para o livro e escreva-o na capa.

Converse com todos para a escolha da ilustração da capa, para isso, organize a turma de forma que todas as duplas possam contribuir nesse momento. Grampeie ou encaderne o livro. Com o livro pronto, estabeleça um rodízio para que os alunos levem o livro para casa.

Incentive-os para que apresentem o livro coletivo às suas famílias e que apreciem o produto final discutindo todos os aprendizados. Depois que todos os alunos já tiverem levado o livro para casa, deixe-o na biblioteca da classe para que seja consultado livremente.

Aferição de aprendizagem
A avaliação deve ocorrer ao longo das atividades desenvolvidas em todas as aulas (avaliação processual). Acompanhe o envolvimento da turma nos debates e conversas e, sempre que possível, tente motivar os mais tímidos a exporem suas opiniões e a participarem das propostas. Também é importante dedicar especial atenção ao momento das aulas voltado para aferir o conhecimento prévio dos alunos, inclusive para avaliar os progressos individuais. Ao longo deste trabalho, tenha o hábito de realizar apontamentos e sistematizar as informações sobre cada um considerando aspectos conceituais, procedimentais e atitudinais.

Lembre que os alunos foram chamados a: cantar, criar uma coreografia, imitar a hora do banho, conversar sobre os hábitos de higiene com o corpo, ouvir e perguntar sobre aspectos de higiene durante a visita de um especialista, retomar as aprendizagens que obtiveram com a visita, produzir ilustrações relacionadas às aprendizagens registradas, etc. Todas essas ações fazem parte de um rol de possibilidades de aprendizagens dos alunos relacionadas a esta sequência didática. Mas é importante que seus alunos também sejam avaliados quanto às conquistas e aprendizagens procedimentais, vinculadas às atitudes que desenvolveram durante todas as etapas das várias propostas realizadas. Os alunos tiveram a oportunidade de participar com toda a turma, de interagir em duplas, de se relacionar com adultos fora do seu círculo social (caso a vinda do especialista tenha sido possível), de se confrontarem com momentos distintos para falar e ouvir e de criar soluções coletivas. Essas ações envolvem sempre a necessidade de vivências, de momentos concretos para exercitar a capacidade de atuar como sujeitos responsáveis, solidários, participativos.

Vale ainda destacar que o papel do professor no processo de avaliação é fundamental, pois cabe a ele o procedimento investigativo do trabalho pedagógico. É o professor quem medeia as atividades, instiga a turma e cada aluno, faz perguntas desafiadoras, ouve e acolhe as respostas dos alunos, reposiciona novas questões, analisa seus saberes e compara com os conhecimentos prévios. 

Considere nesse contexto todos os avanços, tanto da turma como os individuais. Procure registrar o domínio de seus alunos quanto ao conhecimento especificamente trabalhado: a higiene do corpo.

Você também poderá propor que os alunos se autoavaliem, estimulando, assim, a autocrítica. Adapte a lista de sugestões a seguir à sua turma:

• Como foi a minha participação nas atividades (cantar, dançar, imitar o banho, conversar sobre os hábitos de higiene, assistir à palestra com informações complementares, criar o livro)?

• Eu fiz perguntas durante a palestra?

• Eu aprendi com as respostas?

• Eu consegui ouvir meus colegas?

• Eu me sinto preparado para cuidar da higiene do meu corpo?

Questões para auxiliar na aferição

1. Ana foi brincar com patrícia na casa dela. Antes do almoço, patrícia convidou ana para irem juntas lavar as mãos. Ao sentarem-se à mesa, a mãe de patrícia perguntou: “vocês duas já lavaram as mãos?”. As garotas responderam “sim!”. A mãe de patrícia elogiou as meninas: “parabéns! Vocês duas estão mesmo crescendo! Já sabem lavar as mãos antes de se sentarem à mesa.”.

Por que é tão importante lavar as mãos antes das refeições?

2. Conte um hábito de higiene que você tem com seu corpo e que o ajuda a cuidar da sua saúde. 

Gabarito das questões

1. Cada criança poderá formalizar a informação de que se deve sempre lavar as mãos antes das refeições, mesmo quando não se consegue ver a sujeira nelas para evitar doenças.

2. A resposta irá depender da escolha de cada aluno. Pode ser: tomar banho, lavar as mãos, escovar os dentes, cortar as unhas, pentear os cabelos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nosso blog é gratuito, seja um colaborador e incentive nosso trabalho por apenas 4,99.