Formação do território brasileiro - Habilidades: EF07GE02, EF07GE09 (plano de aula 7ºano)



A formação territorial do Brasil
Duração: 3 aulas

Relevância para a aprendizagem
No 7º ano do Ensino Fundamental – Anos Finais, a abordagem em Geografia permite destacar a importância dos fluxos econômicos na formação territorial do Brasil. Nos últimos cinco séculos, o território brasileiro foi se transformando à medida que novas terras eram anexadas e que novas formas de produção/exploração se tornavam relevantes. Os diferentes fluxos econômicos e tratados sobre fronteiras que, ao longo desses cinco séculos, se implementaram no Brasil contribuíram significativamente para delinear a formação do país, tendo em vista a concentração das atividades nas regiões exploradas economicamente. Isso acarretou um fluxo de pessoas e um desenvolvimento específico nesses locais, os quais se refletiram na sociedade contemporânea e na organização do  território brasileiro como hoje se estabelece.
Nesse contexto, o conhecimento sobre tal processo possibilita que os alunos associem os fluxos econômicos à formação do território brasileiro, suas modificações ao longo do tempo até chegar nas fronteiras atuais.

Com relação às competências gerais estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para a Geografia no Ensino Fundamental, esta sequência didática viabiliza, aos alunos, a compreensão das dinâmicas do passado, essenciais para a configuração atual, de modo a incentivar a valorização dos conhecimentos historicamente construídos para estabelecer a relação com o presente, colaborando para a construção de uma sociedade democrática e inclusiva.

Objetivos de aprendizagem
• Reconhecer os processos importantes na formação do território brasileiro.
• Entender como os fluxos econômicos contribuíram para a constituição das atuais fronteiras nacionais.

Objetos de conhecimento e habilidades (BNCC)

Formação territorial do Brasil
(EF07GE02)
Analisar a influência dos fluxos econômicos e populacionais na formação socioeconômica e territorial do Brasil, compreendendo os conflitos e as tensões históricas e contemporâneas.

Mapas temáticos do Brasil
(EF07GE09)
Interpretar e elaborar mapas temáticos e históricos, inclusive utilizando tecnologias digitais, com informações demográficas e econômicas do Brasil (cartogramas), identificando padrões espaciais, regionalizações e analogias espaciais.

DESENVOLVIMENTO

Aula 1 – O território brasileiro: do século XVI ao XVIII
Duração:
cerca de 45 minutos
Local: sala de aula
Organização dos alunos: sentados individualmente em suas carteiras, de frente para a lousa
Recursos e/ou material necessário: lousa, giz/caneta, caderno, caneta, lápis, borracha, projetor de imagens (se possível) e mapas do Brasil dos séculos XVI a XVIII

Atividade 1: Levantamento prévio (5 minutos)
Inicie a aula com um levantamento do conhecimento prévio dos alunos sobre o tema. Questione-os sobre o processo de colonização do Brasil, por exemplo: Vocês sabem quem foram os colonizadores do Brasil? Quais atividades de exploração ou cultivo foram implantadas na colônia? Que tipo de mão de obra era utilizado? O que foi o Tratado de Tordesilhas?

Direcione a discussão de modo que os alunos apontem que os colonizadores do Brasil foram os portugueses e que o Tratado de Tordesilhas foi uma divisão territorial feita entre Portugal e Espanha para definir de quais reinos seriam as novas terras “descobertas”. Na lousa, anote, em forma de tópicos, os comentários mais relevantes do diálogo feito com os alunos. Esses pontos serão os fios condutores para a explanação e o desenvolvimento da aula.

Atividade 2: Explanação (20 minutos)
Mostre aos alunos como ocorreu a evolução do território brasileiro ao longo dos séculos XVI, XVII e XVIII, relacionando os fluxos econômicos e os diferentes tratados à expansão territorial. Explique que a primeira forma de exploração da terra, que hoje chamamos de Brasil, foi a extração do pau brasil, utilizando-se de mão de obra indígena nativa. Relembre que, após o estabelecimento do Tratado de Tordesilhas, o Brasil foi dividido em capitanias hereditárias, pois facilitava o controle da colônia pelos portugueses. Na sequência, esclareça que a principal produção exercida nesse período foi a lavoura de cana-de-açúcar, que adotava mão de obra de africanos escravizados. Portanto, nessa época, a porção ocupada do país foi a faixa litorânea, e o povoamento, por parte dos colonizadores, ocorreu após a introdução da lavoura canavieira, sendo duas as regiões de destaque: a região Nordeste e o litoral de São Paulo.

Comente sobre a União Ibérica, explicitando que isso significou a união política entre as monarquias da Espanha e de Portugal no período compreendido entre o final do século XVI e meados do século XVII, fato que, consequentemente, refletiu em suas colônias, já que a divisão territorial anterior (Tratado de Tordesilhas) tornou-se obsoleta, facilitando, então, a exploração das terras mais interioranas. Com a descoberta do ouro no final do século XVII, foi introduzida no Brasil uma nova forma de exploração que teve seu auge no século XVIII. Ressalte, por fim, que esse novo ciclo econômico, somado à mineração, foi relevante para o estabelecimento de povoados no interior do país.

Atividade 3: Discussão sobre o tema da aula (20 minutos)
Selecione previamente mapas do Brasil dos séculos XVI a XVIII. Sugerem-se os seguintes:

• Mapa de Luís de Teixeira de 1574, redesenhado por Regina Alonso
Disponível em: <brasil500anos.ibge.gov.br>

• Mapa Capitanias – Século XVI, de J. M. de Areripe Macedo, segundo elementos da Carta Geographica do Brazil
Disponível em: <brasil500anos.ibge.gov.br>. 

Mapa Vice-Reino do Brasil – Capitanias – Século XVIII, de J. M. de Areripe Macedo, segundo elementos da Carta Geographica do Brazil
Disponível em: <brasil500anos.ibge.gov.br>. 

Projete os mapas ou, na ausência de recurso de projeção, imprima-os e fixe-os na lousa para que os alunos acompanhem a explicação. Solicite que façam anotações no caderno dos pontos principais.
Após a explanação, oriente-os a elaborar um resumo sobre cada mapa em uma folha à parte para ser entregue no final da aula.
Em primeiro lugar, apresente o mapa “Mapa de Luís de Teixeira de 1574” e, na sequência, mostre o mapa “Capitanias – Século XVI”. Sobre eles, explicite como era a configuração territorial do Brasil no século XVI, a divisão do Tratado de Tordesilhas e as capitanias hereditárias, identificando-as e esclarecendo como a ocupação do território ocorreu ao longo do litoral.

Em seguida, projete o mapa “Vice-Reino do Brasil – Capitanias – Século XVIII”. Conduza a explanação de modo a identificar as fronteiras da época e as atuais. Peça aos alunos que observem essas diferenças. Trata-se de um mapa do século XVIII após a expansão das fronteiras para o interior do país, no qual é possível observar novas capitanias e povoados, que foram sendo ocupados à medida que a expansão para o interior se consolidava.

Finalizada a aula, recolha os resumos elaborados pelos alunos para, posteriormente, proceder à avaliação.

Aula 2 – O território brasileiro: séculos XIX e XX
Duração:
cerca de 45 minutos
Local: sala de aula
Organização dos alunos: em um primeiro momento, sentados individualmente em suas carteiras; na segunda parte da aula, reunidos em cinco grupos
Recursos e/ou material necessário: lousa, giz/caneta, caderno, caneta, lápis, borracha, projetor de imagem (se possível) e mapas do Brasil dos séculos XVI a XX

Atividade 1: Revisão sobre o tema da aula anterior (5 minutos)
Inicie propondo questões aos alunos sobre o conteúdo estudado na aula anterior: Vocês se lembram da primeira configuração territorial do Brasil? Onde começou o povoamento e a expansão para o interior do território? Relembre os ciclos do pau-brasil, da cana-de-açúcar e da mineração.
Conduza a exposição dialogada a fim de que os alunos relembrem que a primeira configuração territorial do Brasil ocorreu com o Tratado de Tordesilhas e as capitanias hereditárias e que, assim, o povoamento começou pelo litoral com a implantação da cultura canavieira. Ainda, que o pau-brasil foi a primeira forma de exploração da terra e que o ciclo da mineração ocorreu após a descoberta de ouro no interior do país. Durante a atividade, avalie a participação dos alunos e, se houver necessidade, reveja o conteúdo pontuando na lousa os principais elementos sobre o tema.

Atividade 2: Explanação (20 minutos)
Após essa pequena revisão, aborde a evolução do território brasileiro ao longo dos séculos XIX e XX. Explique aos alunos que, no século XIX, com a independência do Brasil em relação a Portugal, o país se tornou soberano e adotou a monarquia como forma de governo. Ressalte que, nesse mesmo período, o país passou a produzir café no Sudeste e no Sul, nas áreas que hoje correspondem aos estados do Paraná, de São Paulo, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Esclareça que a economia cafeeira necessitava de infraestrutura para o escoamento da produção e, assim, as primeiras ferrovias foram construídas nessas regiões. Com a abolição da escravidão e a vinda de imigrantes europeus para trabalhar na lavoura cafeeira, o trabalho do ex-escravo foi preterido ao do imigrante.

Prossiga explicando que o sucesso da economia do café foi a principal causa de uma pequena tentativa de industrialização nas cidades que começavam a tomar forma, como São Paulo. As ferrovias, nesse período, foram expandindo-se em direção ao interior, formando os primeiros eixos de integração territorial brasileira.

Ainda sobre o século XIX, aborde o ciclo da borracha na Amazônia, que proporcionou a ocupação dessas áreas de floresta. No mesmo período, o Acre foi comprado da Bolívia e, assim, os atuais contornos do território foram sendo definidos.

Atividade 3: Discussão sobre o tema da aula (20 minutos)
Após a exposição inicial do tema, selecione previamente mapas do Brasil dos séculos XVI a XVIII. Sugerem-se os seguintes: 

• Mapa Império do Brazil – 1822 – Século XIX
Disponível em: <brasil500anos.ibge.gov.br>. 

• Mapa República dos Estados Unidos do Brazil – 1889 – Séculos XIX-XX
Disponível em: <brasil500anos.ibge.gov.br>. 

• Mapa político do Brasil
Disponível em: <brasil500anos.ibge.gov.br>. 

Projete os mapas ou, na ausência de recurso de projeção, imprima-os e fixe-os na lousa para que os alunos acompanhem a explicação. Solicite que façam anotações no caderno dos pontos principais.
Por meio dos mapas, demonstre que a configuração territorial do Brasil no século XIX, ainda no Império (primeiro mapa), já se mostrava quase igual à atual. Além disso, na República (segundo mapa), já havia a anexação do Acre e, finalmente, mostre que essas fronteiras podem ser comparadas ao mapa político atual do Brasil (terceiro mapa).

Se a apresentação dos mapas foi realizada com o projetor, também providencie previamente uma cópia impressa de cada um dos mapas já trabalhados (indicados nesta sequência didática para as aulas 1 e 2): “Mapa de Luís de Teixeira de 1574”; “Mapa Capitanias – Século XVI”; “Mapa Vice-Reino do Brasil – Capitanias – Século XVIII”; “Mapa Império do Brazil – 1822 – Século XIX”; e “Mapa República dos Estados Unidos do Brazil – 1889 – Séculos XIX-XX”, exceto do mapa político. Caso as cópias já tenham sido feitas para subsidiar as explanações das aulas, reaproveite-as.

Então, proponha uma atividade de pesquisa aos alunos com os cinco mapas ora indicados, solicitando que se organizem em cinco grupos. Cada grupo deverá receber um dos mapas impressos.

Explique que a pesquisa será sobre o período histórico do respectivo mapa designado ao grupo e que a seleção dos materiais para a conclusão da atividade deve ser feita extraclasse.

Para que possam fazer a busca dos materiais, peça que todos os integrantes do grupo anotem no caderno os pontos que, necessariamente, devem ser contemplados na pesquisa. Transcreva-os na lousa: 

1. Como era a cultura e os costumes da época?

2. Quem eram, como viviam e aproximadamente quantas pessoas existiam no Brasil à época?

3. O território brasileiro era o mesmo?

4. Quais as principais diferenças do território do mapa em relação ao mapa político do Brasil atual?

5. Demais dados pertinentes ao período do mapa.

Finalize a aula recomendando aos alunos que utilizem a biblioteca da escola, além de buscas em jornais, revistas, documentários e outros conteúdos disponíveis em sites com conteúdo confiável.
Ressalte, por fim, que tanto os materiais selecionados quanto o mapa impresso entregue ao grupo deverão ser trazidos para a aula seguinte.

Aula 3 – Aplicando os conhecimentos
Duração:
cerca de 45 minutos
Local: em sala de aula
Organização dos alunos: sentados em suas carteiras, organizados em cinco grupos
Recursos e/ou material necessário: papel vegetal, lápis, borracha, lápis de cor e mapas do Brasil dos séculos XVI a XX (os mesmos utilizados na aula 2)

Atividade 1: Mapas dos séculos XVI a XX (30 minutos)
Inicie a aula orientando os alunos a se reunirem e formarem os cinco grupos definidos na aula anterior. Peça a cada grupo que pegue o respectivo mapa para, primeiramente, copiá-lo em papel vegetal a lápis e, depois, colori-lo.
Em seguida, oriente-os a consultar o material de pesquisa para responder, em uma folha à parte, aos pontos indicados na aula anterior: Como era a cultura e os costumes da época? Quem eram, como viviam e aproximadamente quantas pessoas existiam no Brasil à época? O território brasileiro era o mesmo? Quais as principais diferenças do território do mapa em relação ao mapa político do Brasil atual? Além dessas questões, devem também pesquisar outros dados pertinentes ao período do mapa.

Durante a atividade, circule na sala de aula de modo a elucidar dúvidas e direcioná-los na caracterização da população brasileira do período pesquisado – como se organizavam socialmente, se viviam nas cidades ou no campo, a população estimada, as diferenças do território brasileiro em relação ao atual, etc. Recolha a produção dos grupos para avaliação posterior.

Atividade 2: Linha do tempo (15 minutos)
Elabore, com a participação dos alunos, uma linha do tempo dos séculos XVI, XVII, XVIII, XIX e XX para que seja exposta em um mural na sala de aula ou, se preferirem, em uma área comum na escola, de modo a compartilhar as pesquisas com a comunidade escolar. As conclusões da atividade também podem ser expostas em uma feira cultural ou de ciências, com uma apresentação de cada grupo sobre o período pesquisado, constituindo-se, assim, em mais uma forma de avaliar o aprendizado sobre o tema.

Por fim, ressalta-se que a construção da linha do tempo permite que os alunos percebam as mudanças na configuração territorial do Brasil ao longo dos séculos e sua ligação com os fluxos econômicos de cada período, constatando-se as transformações relativas à população, às tradições e à introdução de diferentes povos.

Aferição do objetivo de aprendizagem
A avaliação do processo de aprendizagem pode ser realizada por meio de atividades propostas nesta sequência didática e deve considerar os desenvolvimentos individual e coletivo de cada um dos alunos.
A participação dos alunos foi exigida em diversos momentos. Na aula 1, por meio dos questionamentos iniciais e da elaboração dos resumos, verifique a compreensão dos alunos sobre a formação do território brasileiro entre os séculos XVI e XVIII e a respectiva relação com o tipo de colonização e os processos influenciadores correlatos.

Na aula 2, mediante as discussões e o início da atividade em grupo sobre os mapas do Brasil  ao longo dos séculos, confira a apreensão do conteúdo pelos alunos, ou seja, se assimilaram os acontecimentos dos séculos XIX e XX e como esses processos foram essenciais para a configuração territorial atual do Brasil.

Na aula 3, por intermédio da conclusão da atividade em grupo e da elaboração da linha do tempo, observe a habilidade dos alunos de identificar as características socioeconômicas e territoriais da época e reconhecer os processos que foram importantes para a formação do território brasileiro, de modo a entender como os fluxos econômicos contribuíram para a constituição das atuais fronteiras nacionais.

Questões para auxiliar na aferição

1. A configuração do território brasileiro é a mesma desde o século XVI? Explique.

2. Cite e contextualize os fluxos econômicos que, ao longo dos séculos XVI a XX, influenciaram na formação do território brasileiro até sua configuração atual.

Gabarito das questões

1. Espera-se que os alunos apontem que a configuração do território brasileiro não é a mesma desde o século XVI, indicando que diferentes fluxos econômicos associados a fatores geopolíticos internacionais, como a União Ibérica, por exemplo, além dos tratados sobre as fronteiras,  favoreceram a expansão do território do país até sua configuração atual.

2. Espera-se que os alunos citem os principais fluxos econômicos desenvolvidos no Brasil desde a chegada dos colonizadores: pau-brasil, cana-de-açúcar, mineração, café e borracha. Espera-se, também, que as respostas contemplem a contextualização desses processos: a primeira forma de exploração foi o pau-brasil, mas o povoamento ocorreu apenas quando houve a introdução da cana-de-açúcar e a ocupação da extensão do litoral. Com o ciclo da mineração, houve uma expansão para o interior do país, ocupando áreas ao longo dos caminhos abertos no sentido das minas. Em seguida, com o café, houve a concentração de população no Sudeste e no Sul do país, a modernização dos transportes e a industrialização incipiente. Com a borracha, as regiões da floresta Amazônica foram ocupadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário