EF05HI04 - A cultura indígena e a escravização - Plano de aula BNCC

Título: A cultura indígena e a escravização
Duração: 2 aulas

Introdução
Poucos anos após os primeiros contatos entre portugueses e indígenas teve início a sistematização de uma economia colonial, em que a mão de obra indígena passou a ser explorada por meio do trabalho escravo. Nesta sequência didática, os alunos refletirão sobre o processo de captura dos povos indígenas e suas formas de resistência.

Objetivos de aprendizagem:
O que forma um povo?: da sedentarização aos primeiros povos – (EF05HI01)
Identificar os processos de formação das culturas e dos povos, relacionando-os com o espaço geográfico ocupado. 

Cidadania, diversidade cultural e respeito às diferenças sociais, culturais e históricas – (EF05HI04) Associar a noção de cidadania com os princípios de respeito à diversidade e à pluralidade. 

Recursos e materiais necessários
• Lousa e giz (ou quadro e caneta);
• Sala de informática ou biblioteca;
• Computador com impressora ou projetor;
• Projetor ou folhas de sulfite para impressão dos mapas;
• Cartolinas ou folhas de papel kraft;
• Lápis preto nº 2;
• Lápis de cor ou canetas hidrocor. 

Desenvolvimento 

Aula 1 – Terras indígenas
Duração: 40 minutos
Organização dos alunos: em semicírculo
 

Inicie a aula com a turma organizada em semicírculo e pergunte aos alunos em qual região do Brasil eles acreditam que se concentra a maioria da população indígena. Apresente a eles um mapa que mostre as terras atuais dos indígenas e um mapa político com a localização de municípios e estados brasileiros. Utilize o projetor, se houver, ou imprima os mapas em uma folha. Alguns links de referência podem ser encontrados no site do IBGE:

Mapa de terras e aldeias indígenas, IBGE.
Disponível em
<ftp://geoftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/mapas_do_brasil/sociedade_e_economia/mapas_murais/terras_aldeias_indigenas_2008.pdf>. 

Mapa político do Brasil, IBGE.
Disponível em:
<ftp://geoftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/mapas_do_brasil/politico/brasil_politico5000k_2004.pdf>. 

No primeiro mapa, observe com os alunos a concentração de aldeias e reservas indígenas nas regiões Centro-Oeste e Norte. No segundo mapa, destaque a concentração de povoamento no litoral das regiões Sul, Sudeste e Nordeste.

Em seguida, promova uma rodada de perguntas e respostas com a turma. Escreva as perguntas a seguir na lousa, permitindo que os alunos elaborem hipóteses sobre as respostas, e responda oralmente:

Vocês acham que a distribuição dos povos indígenas era a mesma na época da colonização? Havia mais ou menos pessoas?

Explique que a distribuição não era essa. Havia mais de mil povos e uma população estimada entre 2 e 4 milhões de indígenas nesse território naquela época (AZEVEDO, Marta. Quantos eram? Quantos serão?. 

Disponível em:
<https://pib.socioambiental.org/pt/c/no-brasil-atual/quantossao/quantos-eram-quantos-serao>. 

Hoje, são cerca de 300 etnias e quase 900 mil descendentes de povos nativos - Censo 2010.
Disponível em:
<ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/caracteristicas_gerais_indigenas/default_caracteristicas_gerais_indigenas.shtm>.

O que aconteceu para que a distribuição pelo território se alterasse dessa forma?
As terras do litoral foram muito cobiçadas pelos europeus, pois eram espaços que facilitavam o comércio e as relações com a metrópole portuguesa, além de possibilitar a vigilância da área costeira. Além disso, a submissão a trabalhos forçados e os conflitos pela preservação de suas terras afetaram severamente a população nativa.

De que modo a ação dos bandeirantes afetou a distribuição da população indígena no interior?Muitos bandeirantes tinham o objetivo de escravizar indígenas. Com isso, muitos indígenas deixavam suas terras, ou quando eram capturados ou quando fugiam para outras regiões.

Como os diversos povos indígenas reagiram aos ataques armados?
Nos combates os indígenas resistiam com luta. Lutavam para não ser pegos, e aqueles que eram escravizados fugiam grande parte das vezes, pois conheciam as trilhas por entre as matas e os rios.

Ao final da aula, promova uma reflexão sobre as tensões entre colonos e indígenas. Destaque que, apesar de muitas vezes estarem submetidos aos portugueses, o conhecimento dos indígenas foi essencial até mesmo para o povoamento português na colônia: eles sabiam como sobreviver, conheciam as trilhas e os caminhos terrestres e fluviais, utilizavam suas táticas de guerra para resistir às investidas inimigas e tinham muito conhecimento da vegetação, o que os auxiliava na obtenção de alimentos e plantas medicinais. 

Aula 2 – Cultura indígena
Duração:
40 minutos
Organização dos alunos: em grupos de três a quatro integrantes

Inicie a aula relembrando os conhecimentos indígenas destacados na aula anterior. Em seguida, comente com os alunos que havia muitos povos indígenas e que alguns povos se aliaram aos portugueses contra seus rivais, assim como outros europeus, como franceses, aliaram-se a indígenas contra portugueses. Mostre que, para que os colonos sobrevivessem nestas terras e pudessem avançar para o interior, foi essencial aproveitar o conhecimento dos povos indígenas, o que significou uma troca cultural constante.

Organize os alunos em pequenos grupos de três a quatro integrantes e peça a eles que pesquisem, em fontes da internet e em livros previamente selecionados por você, alguns hábitos dos indígenas que influenciaram a cultura de diferentes lugares do Brasil. Você pode dividir os temas entre os grupos e indicar a pesquisa sobre, por exemplo: culinária, medicina, artesanato, linguagem e costumes. Depois da pesquisa, peça aos grupos que desenvolvam cartazes com base em um elemento escolhido do tema selecionado. Por exemplo, um grupo que ficou responsável pela culinária escolhe a mandioca como objeto de análise. No cartaz, devem estar descritos como ela é plantada pelos indígenas, quais os produtos derivados dela, como ela é utilizada no preparo de algum prato, etc. Peça aos alunos que utilizem imagens para ilustrar a produção e que apresentem o elemento escolhido para a turma.

Durante a apresentação, demonstre para os alunos que a cultura indígena tem um traço muito forte em nosso cotidiano, e que os conhecimentos indígenas foram largamente aproveitados para o desenvolvimento da colônia portuguesa na América.

Aferição de aprendizagem
Observe se os alunos compreendem o contraste entre os dois mapas da primeira aula, avaliando se identificam a relação entre a colonização portuguesa e a redução/redistribuição da população indígena. Verifique também se compreenderam o quanto o conhecimento indígena foi essencial para a vida nestas terras durante os primeiros anos de colonização: navegar, localizar-se, andar pelas trilhas, saber o que comer e o que não comer, como cozinhar, etc. Ao final, verifique se os alunos reconhecem a importância do conhecimento indígena na composição da cultura brasileira e em elementos de seu cotidiano.

Sugestão de questões para observar o desenvolvimento de algumas habilidades enfocadas na sequência didática

1. Antes da colonização, havia cerca de 4 milhões de indígenas nas terras que hoje são o Brasil.
Hoje, há cerca de 800 mil descendentes. Em que momento essa população começou a ser reduzida?

2. Qual foi a importância do conhecimento dos indígenas para os colonos?

3. Como vimos, a influência indígena se mantém presente na cultura brasileira. Na sua opinião, o que pode ser feito para valorizar essa influência, bem como a cultura indígena atual?

Gabarito das questões

1. Espera-se que o aluno relacione a colonização à redução da população indígena, citando, por exemplo, a escravização e os confrontos como possíveis razões da diminuição dessa população.

2. Os colonos aprenderam, com os indígenas, o que podiam ou não comer, como navegar e por onde andar nestas terras.

3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos citem a garantia de terras e de manifestação cultural, além do combate a possíveis preconceitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário