Atividade de Arte 3ºano: música - Plano de aula BNCC (EF15AR14)

Música com instrumentos improvisados

Duração: 2 aulas

O objetivo desta sequência didática é criar um ambiente favorável aos estudantes para a exploração do ritmo musical, com instrumentos não convencionais. Para isso, as atividades exploram sons que podem ser extraídos de objetos cotidianos e promovem a requalificação desses sons no discurso musical. Além disso, os estudantes são estimulados a manipular os sons em improvisos durante produções coletivas.

Objetivos de aprendizagem
Esta sequência tem o objetivo de explorar, na unidade temática Música, o seguinte objeto de conhecimento e respectiva habilidade:

Elementos da linguagem (EF15AR14) Perceber e explorar os elementos constitutivos e as propriedades sonoras da música (altura, intensidade, timbre, melodia, ritmo etc.), por meio de jogos, brincadeiras, canções e práticas diversas de composição/criação, execução e apreciação musical.

Os objetivos específicos desta sequência de aulas, alinhados com a habilidade EF15AR14, são:

• Experimentar sons produzidos por instrumentos não convencionais;

• Manipular esses sons e acrescentá-los a um discurso musical;

• Improvisar coletivamente com esses instrumentos.

Recursos e materiais necessários:
AULAS 1 e 2 – Sala ampla com espaço para as atividades. Materiais escolares e demais objetos que estejam à disposição; aparelho celular com gravador de áudio. 

DESENVOLVIMENTO

Aula 1
Duração:
uma aula de 40 minutos.
Organização dos estudantes: Roda de conversa. Exploração individual e coletiva dos sons.

1ª atividade

Comece a aula com uma roda de conversa sobre música com objetos do cotidiano. Para guiar essa conversa, proponha as seguintes reflexões aos estudantes: 

• “O que é necessário para fazer música?”

• “Qualquer som pode ser usado numa música?”

• “É possível criar música sem instrumentos musicais?”

Deixe que os estudantes criem hipóteses a respeito desses questionamentos.

2ª atividade

A seguir, solicite aos estudantes que procurem sons na classe: em seus materiais escolares ou objetos à sua volta que considerem interessantes para produção de uma música. Diga que eles podem usar qualquer material: molho de chaves, livros, borrachas, zíper do estojo, espiral de caderno, lápis, garrafas plásticas, etc.

Dê alguns minutos para que investiguem os sons desses objetos.

A seguir, organize os estudantes em roda e peça que mostrem os sons que encontraram – pode ser mais de um por estudante.

3ª atividade

Solicite então a cada estudante que escolha um dos sons encontrados, para ser usado numa improvisação coletiva. A improvisação pode ocorrer da seguinte maneira:

• Proponha um ritmo, usando também algum material encontrado na sala de aula. (Você deve propor e é responsável por manter o ritmo durante toda a atividade.)

• A seguir, oriente o estudante a seu lado na roda a produzir um som que se repita periodicamente durante a execução do ritmo proposto. O colega ao lado dele deve fazer o mesmo, e assim sucessivamente, até que todos estejam tocando.

• Quando todos estiverem participando, conduza os estudantes a diminuírem o som lentamente até que haja apenas silêncio.

4ª atividade

Organize uma roda de conversa para que os estudantes exponham suas impressões sobre a aula. Retome as perguntas do início e deixe que apresentem suas novas opiniões sobre o assunto.

Peça aos estudantes que tragam os materiais usados na improvisação na próxima aula.

Aula 2
Duração:
uma aula de 40 minutos.
Organização dos estudantes: Roda de conversa. Trabalho em grupo. Apresentação dos grupos.

1ª atividade

Inicie a aula com uma conversa sobre a atividade de ritmo que realizaram na aula passada. Em seguida, organize os estudantes em dois grupos e peça aos grupos que criem uma sequência rítmica com os mesmos objetos usados na aula passada.

Oriente-os para que as sequências não sejam muito longas nem muito complexas: é importante que sejam fáceis de tocar (não precisam ter muitos sons). Sugira que variem mais a intensidade, dizendo que assim podem ficar mais interessantes e divertidas. Então, conte a eles que as sequências serão usadas na composição de uma música.

Deixe que os estudantes realizem várias experimentações até chegarem à sequência que pretendem utilizar na composição musical. Depois, peça a eles que ensaiem a sequência até que esteja bem memorizada por todos os integrantes do grupo.

2ª atividade

A seguir, diga que cada grupo ficará responsável por compor uma música, utilizando a repetição da sequência rítmica que criaram. Essas composições podem acontecer da maneira que os estudantes quiserem.

A seguir, são apresentadas algumas propostas de trabalho:

• Em cada grupo, parte dos estudantes executa a repetição da sequência que criou enquanto outra parte tenta improvisar sons para complementar essa repetição.

• Um grupo executa a repetição da sequência que criou e o outro improvisa sons para complementar essa repetição.

• Um grupo executa a repetição da sequência que criou e o outro a complementa também com a repetição da sequência que criou.

Lembre-se de fotografar ou filmar a atividade e guardar o registro no portfólio da classe.

3ª atividade

Após a atividade em grupo, organize os estudantes em roda e converse sobre as impressões que tiveram a respeito do processo. Reproduza a gravação das apresentações para que possam ouvir suas próprias composições e refletir a respeito delas. As seguintes perguntas podem ajudar a coordenar essa conversa:

• “O que vocês acharam de suas composições?”

• “Que dificuldades encontraram para criar e tocar as sequências musicais ao longo da música?”

Aferição de aprendizagem

Ao longo de toda a sequência didática, observe o engajamento dos estudantes nas conversas e atividades práticas. Há alguns aspectos a serem observados, desejáveis como resultados das aprendizagens pretendidas nesta sequência:

• que os estudantes explorem os sons de instrumentos não convencionais;

• que os estudantes manipulem esses sons no discurso musical;

• que os estudantes experimentem o improviso coletivamente.

Para isso, durante a sequência didática, guie suas observações por meio das seguintes perguntas: Os estudantes participaram dos momentos de partilha? De que forma? Nas atividades práticas, os estudantes experimentaram diferentes estratégias para criar as sequências rítmicas? Os estudantes refletiram acerca das sequências rítmicas que criaram?

Questões para aplicar aos estudantes

1. É possível fazer música sem instrumentos musicais?

Espera-se que os estudantes percebam que é possível extrair sons de quaisquer objetos e usálos de modo criativo numa composição musical.

2. O que você achou de compor música usando repetições de sequências de sons?

3. Quais foram os maiores desafios?

Nenhum comentário:

Postar um comentário