Especiarias - Atividade 7ºano PDF - Descobertas científicas e expansão marítima


 

PROPOSTA DE ATIVIDADE COMPLETA PARA BAIXAR E SALVAR

Viajar o mundo atrás de temperos? 

No século XIV, existiam diversas rotas comerciais que integravam África, Ásia e Europa. Entre as mais importantes estavam a rota da seda (Ásia – Europa) e a rota das especiarias (Ásia – Oriente Médio – Europa). Nesse sentido, a atividade a seguir tem por objetivo estimular os alunos a refletir sobre o mundo conhecido pelos europeus até o “descobrimento” da América. Para compreender as motivações que levavam mercadores a enfrentar as longas viagens entre os continentes, serão discutidos os diferentes usos (culinário, medicinal, conservação alimentícia) e, consequentemente, a importância que as especiarias possuíam para a cultura europeia do período. Por fim, espera-se que o aluno compreenda as representações feitas pelos europeus das diversas culturas muçulmanas, asiáticas e africanas.

Objetivos de aprendizagem
Identificar as diferentes rotas comerciais que integravam África, Ásia e Europa.

Objeto de conhecimento: As descobertas científicas e a expansão marítima. 

Habilidade trabalhada: (EF07HI06) Comparar as navegações no Atlântico e no Pacífico entre os séculos XIV e XVI.

Compreender a importância histórica das especiarias – que motivavam as longas viagens dos mercadores – e seus diferentes usos.

Objeto de conhecimento: As lógicas mercantis e o domínio europeu sobre os mares e o contraponto Oriental. 

Habilidade trabalhada: (EF07HI14) Descrever as dinâmicas comerciais das sociedades americanas e africanas e analisar suas interações com outras sociedades do Ocidente e do Oriente.

Tempo previsto
150 minutos (3 aulas de aproximadamente 50 minutos cada)

Recursos didáticos
Caderno e lápis, caneta hidrocor, cartolina.
Amendoim, pipoca e especiarias: canela (em pó e pau), açafrão (em pó e raiz), pimenta-do-reino (grão e moída), cravo (in natura e em pó), noz-moscada (in natura e em pó), gengibre (in natura e em pó).
Projetor e/ou imagens impressas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário